segunda-feira, 15 de Outubro de 2012

          ALIMENTAÇÃO 

ANTI  ENVELHECIMENTO


PORQUE  RESOLVI  FAZER  ESTE  BLOG ?

Porque a verdade é esta: são os comportamentos alimentares,em sentido lato,os responsáveis
por um grande nº de cancros...e envelhecimento prematuro dos nossos corpos.
Porque tal como vós, já vi morrer muitos que me eram queridos,vítimas deste flagelo,e como foram duros esses combates !!!Vi com os meus olhos, os seus sofrimentos, e no final o balanço foi quase sempre trágico...

Necessitamos  de  desintoxicar !!!
Evite que a intoxicação alimentar atrapalhe seu veNunca a Humanidade esteve diáriamente tão exposta a toxinas externas-ar poluído, fumos, inalações,drogas,medicamentos, metais pesados, radiações, pesticidas, químicos ;e toxinas internas,que surgem como subproduto dos processos digestivos e metabólicos. Se o Sistema imunitário estiver forte e os órgãos de eliminação como a pele,rins, e cólon estiverem a funcionar muito bem, o próprio corpo liberta-se dessas substâncias. No entanto, por variadíssimas razões (défice de fitonutrientes por exemplo),o nosso organismo deixa de ser capaz de as eliminar. Se estas surgem mais rápidamente do que o corpo é capaz de as eliminar,começam a acumular-se e com o défice de excreção por parte dos órgãos,o corpo entra em toxidade.A saude fica debilitada,as funções dos órgãos enfraquecem,começam a surgir uma série de doenças como :artrite, sindroma do cólon irritável,doenças auto-imunes,etc.Há que reduzir o impacto de todas estas substâncias químicas e tóxicas que provocam oxidação e nos roubam a saude.
O nosso corpo tem um desejo inato de se sentir bem e viver num nível óptimo!
Nos últimos 100 anos utilizámos a tecnologia e a química para uma maior rentabilidade.
Isto provocou alteração nos alimentos, e o modelo de alimentação ocidental veio para ficar.
-Alimentos tratados e refinados (amidos e açucares),excesso de proteína animal(carnes),estimulantes(cafeina),álcool,lacticínios pasteurizados com altos níveis de gordura saturada.Consumidos em excesso subcarregam o Fígado e o sistema imunitário.Necessitamos de mudança se continuarmos a forçar o nosso corpo aos limites ,mal nutridos, exaustos, vamos quebrar a homeostasia, e os sintomas de doença mais cedo ou mais tarde surgirão.


FACTO:
Um indiano comum consome 5kg /carne /ano;
Um americano 123kg /carne/ ano - 25 vezes mais.
Mas o mais saudável e com menos cancro é o indiano.
No relatório da ONU concluiu-se que a criação de animais é das actividades que mais polue: as águas, os lençóis freáticos, quantidade enorme de pesticidas e fertilizantes usadas nestas actividades,excrementos - tudo vai parar á água que depois vamos beber. Está na altura de recuperarmos o prazer de voltar ás origens, ao biológico,recuperemos o prazer de saborear uma boa peça de fruta /legume sem venenos.
Temos que recuperar o prazer das coisas simples e a simplicidade da vida, tendemos sempre a complicar, o que é simples.Precisamos de recuperar a sensibilidade para com o nosso meio, para com os nossos semelhantes, acima de tudo reaprender a respeitar as outras espécies de seres que nos rodeiam, porque sem eles não podemos viver ,não há equilíbrio nem homeostase.Pesamos demais ao nosso planeta, e estamos a impedir que as próximas gerações possam viver com o mínimo de  qualidade e de saude.Se queremos evitar as doenças, o cancro, temos que ir á origem do problema.
Não o vamos conseguir envenenando,a terra, o ar, as águas, pois seremos envenenados também mais depressa do que imaginamos e depois pode ser tarde de mais.

Em 1854,o chefe Seattle das tribos de Índios Americanos do Noroeste,entregou solenemente o seu território e o seu Povo, á soberania dos USA dizendo :
Ensinem os vossos filhos o que ensinamos aos nossos; que a terra é nossa Mãe!
Tudo o que recaír sobre a terra recairá sobre os filhos da Terra.
Se os homens cuspirem no chão, cospem em si próprios. Uma coisa sabemos; a Terra não pertence ao homem,mas sim o contrário. Isso sabemos.
Tudo está interligado, como o sangue que une uma família.
Tudo está interligado !"
 
Cheguei a uma etapa da minha vida ,que sinto a necessidade de fazer alguma coisa,no sentido da prevenção,pondo em práctica estratégias diversas,alimentos que são autênticos arsenais de prevenção e que previnem o seu aparecimento.
 Independentemente da minha formação ,o meu interesse pela alimentação anti cancerigena ou alimentação anti envelhecimento,vem desde há muito pela minha enorme curiosidade á cerca do corpo humano que depois se tornou em respeito ,e mais tarde em veneração e de perceber os mecanismos que podem perturbar o equilíbrio interno e favorecer o aparecimento do cancro,e o poder dos anti oxidantes neste combate.
De facto perante a enorme complexidade do corpo humano ,e simultaneamente sua fragilidade ,a   magia acontece diariamente dentro de nós,chama-se VIDA !!!
Uma coisa é certa a vida é um milagre diário !!! Isso eu vos garanto,e quanto mais estudo mais fico esmagada perante tal grandeza,que acontece dentro dos nossos corpos,e que faz com que tudo pareça realmente irrelevante.
Após muitos anos de estudo e de pesquisa pessoal,resolvi partilhar o meu conhecimento com o maior nº de amigos,para podermos falar de esperança,sempre baseado nas mais recentes descobertas no campo da medicina com a legitimidade dos mais conceituados estudos feitos pelos maiores peritos nesta área.
Se achas que isto não te diz respeito então fica sabendo:

                                  NO  OCIDENTE
- 1  EM  CADA  2  HOMENS  TEM  OU TERÁ CANCRO 
 -1  EM  CADA  3  MULHERES  TEM  OU  TERÁ  CANCRO 

O CANCRO


HISTÓRIA :
Desde o inicio da história da medicina que os seus afeiçoados se dedicam ao estudo desta doença. As primeiras evidências de cancro datam de 1600 A.C. descritas pelos egípcios.

A palavra cancro vem do termo gregos carcinos utilizados (reza a história) pelo “Pai da Medicina” Hipócrates (460-370 A.C.) que significa caranguejo, devido ao aspecto que alguns tumores apresentavam semelhante a esse animal (daí a simbologia). Desde então, o estudo da oncologia tornou-se uma das áreas de maior interesse na medicina.  

Hoje em dia, sabe-se que um tumor surge quando as células de uma determinada parte do corpo se multiplicam sem qualquer tipo de controlo. Quando estas células adquirem a capacidade de se espalharem pelo corpo (metastizar) o tumor diz-se maligno, vulgo cancro. 

Embora seja um só termo, existem vários tipos de cancro de acordo com a sua localização no corpo, cada um deles com características diferentes. 

CHÁ  DO  DIA
QUE  TAMBÉM  É  ANTI-CANCRO : 
MARAVILHOSO  CHÁ  VERDE / BRANCO   -Propriedades :
É  a infusão mais bebida no mundo!!!
O chá-verde é um produto obtido a partir de folhas e rebentos (chá branco) da planta Camellia sinensis e atualmente se destaca como sendo uma bebida apreciada em todo o mundo.
Considerado desde a antiguidade o elixir da juventude.



 

Benefícios à saúde

Estudos indicam que o chá verde é rico em substâncias antioxidantes, chamadas polifenóis, que evitam a ação destrutiva das moléculas de radicais livres que degeneram as células, auxiliando, por exemplo, na prevenção do câncer, tendo efeito anti-envelhecimento e na queima de gorduras.

O chá verde também é rico em taninos(responsáveis pela cor,sabor e efeito calmante) que faz diminuir as taxas do
LDL (colesterol ruim) e fortalece as artérias e veias favorecendo a prevenção de doenças cardíacas e circulatórias. Possui bioflavonóides e catequinas: substâncias que bloqueiam as alterações celulares que dão origem aos tumores.

Um estudo feito nos Estados Unidos indica que o extrato de chá verde pode suprimir o crescimento de Helicobacter pylori (em vivo e em vitro). Um outro estudo feito na Coreia do Sul sugere que um polissacarídeo ácido encontrado no chá verde é significativamente efetivo na prevenção da adesão do H. pylori a células epiteliais humanas em cultura
CONTÉM  :
O chá verde também possui Sais minerais como :ferro,cálcio,flúor,fósforo,manganês, potássio, ácido fólico,VITAMINAS: vitaminas A e C, vitamina K, vitamina B1 e a vitamina B2.
Teína :um alcalóide de efeitos estimulante,chamado assim para se distinguir da cafeína do café,sendo a mesma substância embora esteja presente em menor quantidade.
Teofilina-alcalóide responsável pelo seu efeito diurético.
Quercitina-flavanóide com propriedades antioxidantes,responsável pela acção preventiva de tumores e doenças cardíacas.
 


RESUMO  DAS  SUAS  PROPRIEDADES :
*É diurético (ajuda na eliminação de toxinas ),digestivo,estimula a mente,melhora a concentração(devido á teína) regula a temperatura do corpo,ajuda nos regimes de emagrecimento, é saciante, previne :cáries (devido a acção antiplaquetária dos polifenóis), doenças cardiovasculares,é anti-inflamatório(fenóis),elimina toxinas, melhora o trãnsito intestinal,é  rejuvenescedor graças ao seu elevado teor de polifenóis com poderosos efeios antioxidantes.
E  ainda :
O CHÁ era tradicionalmente usado para combater infecções( pulmonares, por exemplo)susceptíveis ao seu efeito antibiótico .O chá verde associado á cebola ajuda a combater a resistência do corpo aos antibióticos. Os chás verdes , brancos, vermelho e preto têm propriedades antivirais

PREPARAÇÃO :
O CHÁ mantém melhor o seu aroma,se for conservado num frasco ou caixa,bem fechados.Para aproveitar melhor as suas propriedades recomenda-se fazer a infusão com água a 85º C (na altura que começa a fazer bolhinhas.
Não lavar o bule e as chávenas com detergente ,mas passar só por água.

A preparação do chá verde difere um pouco dos chás tradicionais. A água não deve estar fervendo, pois ao ferver, as folhas acabam sendo cozidas e proporcionando um gosto amargo à bebida. O tempo de infusão também não deve ser maior que 3 minutos. O chá deve ser tomado até 1 hora depois,porque passado este tempo ,perde as suas propriedades.Não se deve tomar após as 16 horas ,pois pode provocar insónias.
O  QUE  DIZEM  OS  ESTUDOS ??



Estudos recentes apontam muitos benefícios de saúde associados ao consumo diário do chá-verde/branco devido à presença de compostos polifenólicos em sua composição.
A catequina é um fitonutriente da família dos polifenóis encontrado abundantemente no chá-verde/branco, e que vem despertando interesse na comunidade científica por apresentar uma diversidade de atividades biológicas, tais como atividade anti-tumoral, anti-oxidante e antiinflamatória, podendo desempenhar um papel importante na patogênese de várias doenças crônicas relacionadas com a inflamação, pela possível atuação supressora de fatores inflamatórios, como o fator nuclear-kappa B (NF-κB). A maior composição de catequinas presentes no chá-verde é de epigalatocatequina-3 galato (ECGC), representando 59% da composição total de catequinas. Estudos recentes apontam essa substância como sendo moduladora da resposta inflamatória em alguns ensaios de doenças auto-imune.
O  QUE  SIGNIFICA   ANTIOXIDANTE  ????
O termo antioxidante foi inicialmente usado referindo-se especificamente a um químico que impedisse o consumo de oxigénio. No fim do século XIX e início do século XX, efectuaram-se investigações exaustivas sobre o uso de antioxidantes para importantes processos industriais, como na prevenção da corrosão do metal, a vulcanização da borracha, e a polimerização de combustíveis na incrustação em motores de combustão interna.
Um antioxidante é uma molécula capaz de inibir a oxidação de outras moléculas. A oxidação é uma reacção química que transfere electrões ou hidrogénio de uma substância para um agente oxidante. As reacções de oxidação podem produzir radicais livres. Por sua vez, estes radicais podem dar início a reacções em cadeia que, quando ocorrem em células, podem danificá-las ou causar a sua morte. Os antioxidantes interrompem estas reacções em cadeia eliminando os radicais livres intermediários e inibindo outras reacções de oxidação. Isto é conseguido através da sua própria oxidação, pelo que os antioxidantes são frequentemente agentes de redução, como os tióis, o ácido ascórbico ou polifenóis.
Embora as reacções de oxidação sejam fundamentais para a vida, podem também ser prejudiciais. As plantas e os animais sustentam sistemas complexos de vários tipos de antioxidantes, como glutationa, vitamina C e vitamina E, e ainda enzimas como a catalase, dismutase e várias peroxidases. Baixos níveis de antioxidantes, ou inibição das enzimas antioxidantes, causam stress oxidativo e podem danificar ou matar as células.





























Pensa-se que o stress oxidativo contribui para um grande número de doenças, incluindo muitas doenças neurodegenerativas como: a doença de Alzheimer, a doença de Parkinson e as doenças do neurónio motor; assim como patologias causadas pela diabetes e ainda a artrite reumatoide. Em muitos destes casos, ainda não é claro se os oxidantes espoletam a doença ou se são produzidos como efeito secundário desta a partir da degeneração generalizada do tecido. Um dos casos em que esta ligação está particularmente bem estudada é o do papel do stress oxidativo nas doenças cardiovasculares. Nestas doenças a oxidação das lipoproteínas de baixa densidade (LDL) desencadeia o processo da aterogénese que dá origem à deposição de placas de ateroma nos vasos sanguíneos .
Lesões oxidativas na molécula de ADN podem causar neoplasias. No entanto, várias enzimas antioxidantes como a superóxido dismutase, a catalase, a glutationa peroxidase, a glutationa redutase e a glutationa S-transferase, entre outras, protegem o ADN do stress oxidativo. Tem sido proposto que polimorfismos nestas enzimas podem estar associados a uma maior frequência de lesões no ADN e, consequentemente, ao aumento da predisposição do indivíduo para o desenvolvimento de fenómenos neoplásicos.
COMER MUITO OU POUCO ?
**Uma dieta de restrição calórica pode aumentar a esperança média de vida em muitos animais. Alguns estudos apontam para este efeito poder estar relacionado com uma redução do stress oxidativo. Com uma restrição da ingestão calórica, diminui a taxa metabólica e, consequentemente, diminui a quantidade de espécies reactivas de oxigénio produzidas pela fosforilação oxidativa e demais processos metabólicos.

 

**O CÉREBRO : 

É especialmente vulnerável a lesões causadas pela oxidação, devido ao seu elevado metabolismo basal e ao facto de a sua constituição química ser, em grande parte, lipídica - 49-66% da substância branca e 36-40% da substância cinzenta, em tecido desidratado. Assim, os antioxidantes são frequentemente usados como medicação em várias lesões cerebrais.

ALIMENTOS  OU  SUPLEMENTOS ??
 
Os consumidores de fruta e hortaliças apresentam menor risco de vir a sofrer de doenças cardíacas e algumas doenças neurológicas, existindo conclusões de que alguns tipos de hortaliças, e frutas em geral, oferecem  protecção contra alguns tipos de cancro.
 
Uma vez que estes géneros alimentícios são uma grande fonte de antioxidantes, foi proposto que os SUPLEMENTOS antioxidantes poderiam prevenir alguns tipos de doenças. Esta hipótese tem sido testada clinicamente, mas não parece ser verdadeira, já que os suplementos de antioxidantes não demonstram qualquer efeito inequívoco na redução do risco de doenças crónicas cardíacas ou cancerígenas. Esta conclusão sugere que os benefícios possam advir de outras substâncias presentes nas frutas e nas hortaliças, possivelmente os flavonóides, ou ter origem numa mistura complexa de ALIMENTOS  CONJUGADOS e suas substâncias antioxidantes.



Exercício físico






**Durante o exercício físico vigoroso, o consumo de oxigénio pode aumentar até dez vezes. Isto leva a um aumento muito significativo da produção de oxidantes e resulta em lesões que contribuem para a fadiga muscular durante e depois do exercício. A resposta inflamatória que ocorre depois de exercício árduo está também associada ao stress oxidativo, especialmente nas 24 horas seguintes. A resposta do sistema imunitário aos danos ocorridos tem o seu máximo dois a sete dias depois do exercício, que corresponde ao período durante o qual ocorre a maior parte da adaptação que proporciona tonificação muscular. Durante este processo, são produzidos nos neutrófilos radicais livres para remoção do tecido danificado. Como consequência, níveis excessivos de antioxidantes podem inibir os mecanismos de recuperação e adaptação .
PARADOXO:
Um paradoxo no metabolismo demonstra que, apesar da grande maioria da vida na Terra necessitar de oxigénio para a sua própria existência, o oxigénio é uma molécula altamente reactiva que danifica organismos vivos através da produção de espécies reactivas do oxigénio. Como consequência, os organismos apresentam uma rede complexa de metabólitos e enzimas antioxidantes que trabalham juntos de modo a prevenir os danos resultantes da oxidação em componentes celulares como o ADN, proteínas e lípidos. Geralmente, os sistemas antioxidantes ou impedem a formação destas espécies, ou eliminam-nas antes que possam danificar componentes vitais das células.
ANTIOXIDANTES :
 
Alguns antioxidantes como o licopeno e o ácido ascórbico podem-se decompor como resultado de armazenamento a longo prazo ou excesso de cozedura.[Outros compostos antioxidantes são mais estáveis, como por exemplo os antioxidantes polifenólicos presentes no chá ou nos cereais integrais. Os efeitos da cozedura e do processamento alimentar são bastante complexos, já que podem também umentar a biodisponibilidade    


dos antioxidantes, como no caso de alguns carotenóides nas hortaliças. Regra geral, alimentos processados contêm menos antioxidantes do que os frescos e crus, uma vez que os processos de preparação causam exposição ao oxigénio.

ANTIOXIDANTES   QUE   O  CORPO   PRODUZ :
Alguns são produzidos no próprio corpo. Por exemplo, o ubiquinol (coenzima Q) é mal absorvido pelo sistema digestivo e é produzido nos humanos por via do mevalonato. Outro exemplo é a glutationa, produzida a partir de aminoácidos. Como qualquer glutationa é separada logo após a ingestão de modo a libertar cistina, glicina e ácido glutámico antes de ser absorvida, mesmo grandes doses orais pouco efeito têm na concentração total de glutationa no organismo. Embora grandes quantidade de aminoácidos ricos em enxofre, como a acetilcisteína, possam aumentar a glutationa, não há ainda nenhuma evidência de que a ingestão de grandes quantidades destes precursores de glutationa seja benéfica em adultos saudáveis.Administrar mais destes precursores pode ser útil como parte do tratamento de algumas doenças, como o síndrome do desconforto respiratório, a subnutrição proteica, ou a prevenção de danos no fígado causada pela sobredosagem de paracetamol.
Outros compostos presentes na dieta podem alterar os níveis de antioxidantes agindo como pró-oxidantes. Neste caso, o consumo do composto causa stress oxidativo, ao qual o corpo responde induzindo maiores níveis de defesas antioxidantes, como as enzimas antioxidantes. Alguns destes compostos, como o isotiocianato e a curcumina, podem ser agentes de quimiopreventivos que bloqueiem a transformação de células anómalas em células cancerígenas, ou mesmo que matem as já existentes.

 
LENDA :                  

Segundo uma lenda chinesa, o chá foi descoberto por volta do ano 2.737 a.c. pelo Imperador Shen Nong.



Diz a lenda que Shen Nong numa das suas viagens, parou para descansar e matar a sede debaixo de uma arbusto selvagem de chá…

Os camponeses serviram-lhe água fervida, para prevenirem doenças. Entretanto, uma leve aragem agitou os ramos e cairam algumas folhas de chá dentro da água fervida. 
O Imperador deliciou-se com o líquido dourado, achando a mistura muito refrescante e revitalizante.   O Imperador Shen Nong tornou-se lendário como o “pai do chá”, ao descobrir desta forma o chá há cerca de 5000 mil anos!

Uma das primeiras referências escritas sobre o chá data do século III a.C., quando um famoso médico chinês da época recomendou a um general que se sentia velho e deprimido que tomasse chá - o que indica que já na época conhecia-se as propriedades de aumento de concentração e vivacidade que o chá proporciona - e este general escreveu a um sobrinho pedindo que lhe arranjasse chá de boa qualidade. Registros indicam que na China antiga o chá não era propriamente cultivado em grandes plantações nem era uma bebida popular - era quase sempre preparado como tônico ou medicamento com folhas tiradas de arbustos selvagens. Nos séculos subseqüentes as propriedades do chá tornaram-se famosas e a procura pelo produto cresceu. Nos séculos IV e V d.C. já haviam grandes plantações no vale do Rio Yangtze (também chamado de Rio Amarelo) e haviam vários tipos de chá: dos refinados, que eram ofertados ao imperador como presente, aos populares. Há registros de que folhas de chá prensadas foram usadas em em 476 d.C. como moeda de troca com os turcos na fronteira ocidental da China. 



O CHÁ CHEGA AO JAPÃO

O registro mais antigo sobre o chá no Japão data do ano de 729. Monges budistas tinham ido à China estudar por vários anos (neste período o contato oficial entre China e Japão era freqüente e monges budistas atuavam como emissários da corte). No retorno, trouxeram chá e o presentearam ao imperador Shõmu. Atribui-se ao monge Saichõ, fundador da escola Tendai, a introdução do cultivo do chá no Japão no ano de 805.

Diferentemente do que hoje se pode imaginar, o chá demorou a ser popularizado no Japão. Por volta do ano de 890, a corte imperial japonesa suspendeu as missões oficiais que enviava há dois séculos à China, e as relações entre ambos os países se deterioraram. Sendo um produto chinês, o chá parou de ser bebido na corte. Assim, durante muito tempo, o chá foi considerado um medicamento e reservado a poucos privilegiados. Apenas no século XII, por iniciativa do monge zen-budista Eisai, o chá começou a se tornar mais popular nos mosteiros entre os monges, que o tomavam porque isso os fazia permanecer acordados durante as longas sessões de zazen (meditação sentada). Outro monge budista da época, Myõe, iniciou o cultivo de arbustos de chá em Uji, região de Kyoto, para suprir os mosteiros (até hoje Uji é famosa região produtora de chá no Japão).
 

Na China antiga houve rituais relacionados ao processo de se beber chá, mas que cairam em desuso com o correr do tempo. No Japão, entretanto, o costume de chá desenvolveu-se junto com as escolas e crenças budistas locais, o que levou o ato de beber chá a evoluir para uma cerimônia complicada e única.

Etimologia
 
Em chinês escrito - e em japonês também -o CHÁ, o da Camellia sinensis, é representado pelo seguinte
       IDEOGRAMA : Kanji_chá
Esse ideograma é lido em mandarim e em japonês como "tchá", e no dialeto amoy, falado na região de Fujian na China - uma das principais regiões produtoras de chá do mundo - como "tê".
O chá chegou à Europa ocidental através de carregamentos vindos da Ásia, e dependendo do dialeto falado nos portos chineses que exportavam o chá, a palavra incorporou-se aos idiomas ocidentais com um som similar ao de sua origem. Assim, o "tê" da região de Fujian virou o thé francês, o te italiano, o tea inglês e o Tee alemão. Os portugueses adquiriam o chá em Macau, colônia portuguesa na China onde se falava o dialeto cantonês, que se parece com o mandarim, e assim o "tchá" falado por eles virou o nosso CHÁ.
 
 
O carácter chinês para chá é 茶, mas tem duas formas completamente distintas de se pronunciar. Uma é 'te' que vem da palavra malaia para a bebida, usada pelo Dialeto Min que se encontra em Amoy. Outra é usada em cantonês e mandarim, que soa como cha e significa 'apanhar, colher'.

Esta duplicidade fez com que o nome do chá nas línguas não chinesas as dividisse em dois grupos:

Línguas que usam derivados da palavra Te :
alemão, inglês, dinamarquês, hebraico, húngaro, finlandês, indonésio, italiano, islandês, letão, tamil, sinhala, francês, holandês, espanhol, arménio e latim científico.

Línguas que usam derivados da palavra Cha :
-hindi, japonês, português, persa, albanês, checo, russo, turco, tibetano, árabe, vietnamita, coreano, tailandês, grego, romeno, swahili, croata.
 HISTÓRIA: 

Na Europa ocidental não havia o chá propriamente dito - por isso importava-se e até hoje importa-se o produto. Mas haviam outras ervas e frutas locais das quais se podiam produzir infusões, como a hortelã, a camomila, a erva doce, a maçã, a pera e frutinhas vermelhas como amoras e morangos, que obviamente têm sabor e propriedades diferentes da Camellia sinensis. Mas como o processo de se obter a bebida é o mesmo - ferver uma planta em água - tudo quanto é tipo de infusão em água quente passou a ser popularmente chamado de "chá". Assim, as infusões herbais e as infusões de frutas, embora não fossem de chá propriamente ditas, também passaram a ser chamadas de "chá".



























Não se trata de uma questão meramente lingüística. O chá, o da Camellia sinensis, possui cafeína - um estimulante da atividade cardiovascular e da circulação sangüínea - mas diferentemente da cafeína do café, que é rapidamente absorvida pelo corpo, a cafeína do chá é absorvida de forma mais lenta. A cafeína em si não é prejudicial à saúde - muito ao contrário, é bastante recomendada desde que não tomada em excesso. E é curioso observar que tamanha é a complexidade da composição química da Camellia sinensis, que é impressionante constatar a variedade de sabores e aromas que um só tipo de planta pode gerar. As infusões herbais sem geral não têm cafeína, não possuem um leque de sabor e aroma tão variado quanto o chá, e via de regra são adocicadas e suaves.
 
Foi a partir do ano 1560 que o chá começa a viajar pelo mundo, conquistando uma multiplicidade de culturas e povos. Apesar de Portugal ter sido o primeiro país europeu a consumir chá (trazido do Oriente pelos seus navegadores!), curiosamente foram os holandeses quem importou o primeiro carregamento de chá da China, algo que aconteceu no início do século XVII, depois de terem estabelecido um posto de trocas comerciais na ilha de Java. Muito em voga na Holanda, o chá depressa circulou para outros países da Europa Ocidental, mantendo-se, no entanto, uma bebida exclusiva dos mais abastados, devido ao seu elevado preço. E foi em 1650 que os holandeses levaram o chá para o continente americano, mais precisamente para a sua colónia “New Amsterdam” (actual Nova Iorque).

Catarina em Inglaterra

Por incrível que pareça, o chá apenas chega a Inglaterra em 1652 e pela mão da portuguesa Catarina de Bragança. Filha do Rei D. João IV e da Rainha D. Luísa de Gusmão, a princesa portuguesa casa com o Rei Carlos II e apresenta aos ingleses a sua bebida predilecta – o chá – que se torna a bebida mais popular na corte e, mais tarde, no resto da classe alta. A Inglaterra fez a sua primeira encomenda de chá (cerca de 50 kg!) à Companhia da Indía Oriental em 1664.

 Elitismo _: 

O entusiasmo dos britânicos pelo chá é algo que ainda hoje se mantém, no entanto, nos primeiros anos de consumo, esta bebida não estava ao alcance de todos porque tinho um imposto tão alto que, em 1689, as vendas de chá quase que pararam por completo! O resultado? Contrabando de chá em larga escala com uma verdadeira rede de “crime” organizado que, infelizmente, adulterava muitas vezes as folhas de chá, adicionando-lhes folhas de outras plantas para fazer “render o peixe”. Este negócio de mercado negro chegou a proporções tal que, em 1784, o primeiro-ministro William Pitt colocou um ponto final na situação ao reduzir o imposto de 119% para 12.5%! De um dia para o outro, o chá tornou-se acessível e o contrabando deixou de ser um negócio lucrativo.
Consumo :

Depois de em 1834 ter terminado o monopólio da Companhia da Indía Oriental nas trocas comerciais com a China, o chá começou a ser produzido noutros países como a Índia e o Sri Lanka e o sucesso deste investimento revelou-se depressa. Em 1888, a Inglaterra já importava mais chá da Índia do que da China e os números falam por si: em 1851, quando todo o chá era proveniente da China, o consumo anual em Inglaterra era de cerca de 900 gramas por pessoa. Em 1901, e com o chá a ser importado (mais barato!) da Índia e do Sri Lanka, o consumo anual cresceu para 2,800 kg por pessoa! Não havia volta a dar: o início do século XX trouxe, para os britânicos, uma nova forma de estar na vida – com uma chavena de chá sempre nas mãos!

A importância do chá :

A Inglaterra teve, ao longo da história, uma influência directa sobre o papel e a importância do chá no mundo… a tal ponto que esta bebida tranquila esteve na base de vários protestos e até uma guerra! O famoso “Boston Tea Party” foi uma resposta directa dos colonizadores americanos à subida do imposto no chá por parte do governo britânico. A manifestação aconteceu no dia 16 de Dezembro de 1773 na doca de Boston, onde os manifestantes destruíram várias caixas de chá pertencentes à Companhia Britânica das Índias Orientais. Mas as coisas não ficaram por aí e os ânimos voltaram-se a exaltar por causa do chá… aliás, há quem diga que foi o “Boston Tea Party” que instigou a própria Revolução Americana. No entanto, importa esclarecer que a Revolução Americana não começou por causa do chá, mas sim porque os colonizadores americanos não tinham a liberdade de adquirir o seu chá onde pretendiam. O resultado desta guerra foi a independência do Império Britânico e a formação dos Estados Unidos da América.


VARIEDADES  DA  MESMA  PLANTA --CAMELIA  SINENSIS: é uma espécie da família Theaceae, popularmente conhecida como chá.
Esta é uma árvore de até 15 metros de altura nativa das florestas do nordeste da Índia e sul da China. Apesar da altura máxima elevada, as podas constantes evitam que ultrapasse 1,5 metros, e os indivíduos cultivados desta maneira raramente florescem. Possui folhas oblongas, escuras, lustrosas, com nervuras bem marcadas nas superfícies, de margem inteiramente denteada, e as folhas mais novas são cobertas de pequenos tricomas brancos.
-As flores surgem solitárias ou aos pares nas axilas das folhas. São pequenas, com pétalas brancas e perfumadas, possuem muitos estames e um pistilo com 3 estigmas.
-Os frutos são cápsulas pequenas, globosas, com 1 a 3 sementes também globosas. É possível produzir óleo para o consumo humano a partir das sementes desta planta.

-Existem variedades, como a C. sinensis var. assamica, comum na Índia, que produz as árvores mais altas e com as maiores folhas .
 A variedade sinensis é a mais comumente cultivada.

CHÁ  VERDE --é colhido a seco sem o processo de fermentação que acompanha outras variedades de chá ,conserva todos os elementos activos da  planta no estado puro.

CHÁ  VERMELHO  ( Pu-erh ) --com aroma,sabor,cor tão peculiares que antigamente estava restrito á nobreza.Além de combater os radicais livres,estimula e activa a digestão,beneficia a flora intestinal e estimula o sistema imunitário.

CHÁ  BRANCO --conhecido como o chá da beleza.Considerado pelos Imperadores Chineses um elixir da imortalidade.Contém 3 vezes + polifenóis que o chá verde. É feito unicamente a partir dos rebentos jovens da planta ainda sem abrir,queé onde se concentra toda a energia e nutrientes da planta.

CHÁ  PRETO --obtem-se triturando as folhas recém-colhidas que se deixam expostas ao ar para fermentar,durante um longo período de tempo.Este processo enzimático altera a cor das folhas,passa de verde para cor do café, edepois de secas,para preto,produzindo um sabor e cor deliciosos e profundos,no entanto já perdeu parte  das propriedades.

CHÁ  OOLONG/WULONG --é como o chá preto,excepto o tempo de processamento enzimático que é mais curto,o que produz uma cor e sabor entre o chá verde e o preto.Não é aconselhável tomá-lo em jejum,pois pode provocar enjoos e dores no estômago;e antes de dormir provoca insónias.

CHÁ  ROOIBOS -- é confundido com o chá vermelho da China,no entanto é uma variedade denominada (Aspalathus  Linearis )que não pertence á planta Camelia Sinensis.
Esta planta é produzida na África do Sul,uma das suas características é a de não conter teína,mas possui boa fonte de flavanóides e vitamina C,dois grandes antioxidantes. É um bom substituto ,para quem não pode tomar cafeínas.





Áreas de cultivo no mundo :

-Esta espécie é extensivamente cultivada no mundo, particularmente em Sri Lanka, Índia, China, Japão, Taiwan, Quênia, Camarões, Tanzânia e Malawi.
-No Brasil há poucas plantações, mas já foram observados indivíduos crescendo na mata, sem a interferência humana, o que mostra que o clima deste país é muito favorável à plantação de chá em larga escala.

-No arquipélago dos Açores esta planta é cultivada em algumas plantações, sobretudo na ilha de São Miguel, o que faz com que sejam as únicas plantações de chá de Camellia sinensis conhecidas em toda a Europa.e um chá de óptima qualidade .

COLHEITA:
Para se obter um chá de grande qualidade,existe um método tradicional que requer uma grande destreza por parte das colectoras. Deve arrancar-se 2 folhas e um botão de cada novo rebento, com um movimento descendente do dedo polegar, e a seguir colocá-los em cestos.A colheita mecânica com ceifeiras ou com forquilhas manuais substituem a colheita manual mas retiram-lhe inevitavelmente qualidade.



 

CERIMÓNIA DO CHÁ:


Utensílios Necessários

 
Os Utensílios da cerimônia são chamados de dōgu (literalmente "Ferramentas"). A quantidade de dōgu necessários a uma cerimônia varia em função da escola e do estilo da demonstração. Existem no Japão dicionários específicos que chegam a ter centenas de páginas. Apresenta-se de seguida uma lista simplificada com os itens essenciais:
  • *Fukusa (lenço de seda)
  • *Chawan (taça)
  • *Natsume ou Cha-ire (boião para o chá em pó)
  • *Chasen (batedor para preparar o chá)
  • *Chashaku (espátula para servir o chá em pó)
  • *Chakin (pano para limpar a taça)
  • *Hishaku (concha de bambú)
  • *Kensui (recipiente para a água suja)
  • *Tana (pequena estante para colocar os utensílios)
  • *Kama (panela de ferro)
  • *Furo (braseiro)



























Resumo da  cerimônia do chá japonesa chamada - Chanoyu - (Água quente para chá )
O preparo cerimonial da bebida aos convidados, e o ato de servir têm um significado espiritual, ao qual se dá o nome de chado, ou sado que significa - caminho do chá, que tem três princípios básicos: todos são iguais, respeito ao outro e gratidão por aquele que prepara o chá.
Em média uma cerimônia dura 40 minutos, mas em alguns casos pode chegar a 4 horas. O tempo se alonga se for considerado o início da cerimônia, quando ocorre a caminhada por um jardim de pedras tipicamente japonês. O ponto alto acontece quando os participantes compartilham o momento de tomar a bebida.
Começa o ato de tomar uma tigela de chá"verde em pó (matcha ) .O matcha é feito da planta chamada chá, camellia sinensis.
 - envolve seis elementos que possuem um estreito relacionamento entre si. São os elementos de natureza religiosa, filosófica, ética, artística, ascética e social. Cada um deles se constitui em amplas facetas que propiciam a compreensão do espírito de "wa-kei-sei-jaku", ou seja, respectivamente, harmonia, respeito, pureza e tranqüilidade. é uma atividade tradicional com influências do Taoísmo e Zen Budismo.

Atenção aos efeitos secundários e cuidados 

para se beneficiar de um bom chá verde:

A dose diária deve ser observada, devido à presença de cafeína no chá, que pode aumentar a pressão arterial e causar náuseas e dor de cabeça. Pelo mesmo motivo, não é recomendado às gestantes e pessoas cardíacas ou com problemas de hipertensão, insônia, gastrite, problemas renais, hipertireoidismo, ansiedade e taquicardia, pois acelera o metabolismo, nestes casos tomar só a versão descafeínado. Pessoas com deficiência de ferro também devem evitar o consumo do chá, já que o tanino pode inibir a absorção do mineral,nem á refeição pela mesma razão.
Dose recomendada: São aconselhadas três ou quatro chávenas diárias.
Não é aconselhado com açúcar, adoçantes ou leite (que prejudica seu poder antioxidante) e seu preparo também exige um cuidado: Deve-se fazer uma infusão das folhas com água QUASE fervente e deixar actuar, de três a cinco minutos.

TRUQUE  DE  BELEZA:
-Se acordar de manhã com os olhos inchados,ou com olheiras, podem colocar-se os saquinhos já usados do chá sobre as pálpebras fechadas e deixar repousar 20 minutos.

-Máscara de beleza hidratante e antioxidante : misture chá,com  mel e óleo de amêndoas doces,deixar actuar 30 minutos .

 O chá também tem efeito anti-séptico e adstringente devido ao tanino na sua composição, sendo usado inclusive em cremes e nas limpezas de peles oleosas. Recentes estudos mostraram que, usado em creme, o chá verde melhora a defesa das células contra raios ultravioletas, prevenindo, o CANCRO de pele.
 

 *ALIMENTO  DO  DIA *  
  PODEROSA  CURCUMA   
É  a substância + anti-cancerígena que se conhece,ou seja é o anti-inflamatório natural + poderoso actualmente identificado.A principal molécula responsável por este efeito é a curcumina.
Extraída das raízes da Curcuma Longa,a curcuma tem um pigmento amarelo,com propriedades surpreendentes.
É muito utilizado como especiaria na Ásia,principalmente na  ÍNDIA que produz 600.000 toneladas que corresponde a 75% da produção mundial.Da sua raiz seca e moída se extrai o pó, conhecido simplesmente por Açafrão das Indias, utilizado como condimento ou corante de cor amarela e brilhante, na culinária e no preparo de medicamentos.
O seu interesse remonta á antiguidade 3000 A.C ,devido ás suas virtudes medicinais,muito usado na medicina ayurvedica ,pelas suas propriedades anti-inflamatórias.
O açafrão das índias(que é um dos componentes que vem no caril representa 20% deste)tem de ser misturado com pimenta preta para ser assimilado pelo organismo,pois sem ela não ultrapassa a barreira intestinal.
Na verdade a pimenta preta multiplica 2000 vezes a absorção do Açafrão das Índias pelo organismo.
Recentemente,ficou demonstrado que a curcuma é capaz de desintoxicar as substâncias
cancerígenas,tornando-as inofensivas.Consegue bloquear a proliferação de muitíssimos
 tipos de células cancerígenas e estimular o suicídio das células cancerosas (Apoptose),e reduz o desenvolvimento tumoral.

O seu efeito é ainda + marcante quando está associada a outros nutrientes principalmente:
*piperina ,contida na pimenta preta
*genisteína,fitoestrogénio muito abundante na soja e feijão de soja
*chá verde
A curcuma aumenta ainda a eficácia de muitos medicamentos de quimioterapia
anticancerosa.
No homem,foi testado no reaparecimento de pólipos do cólon,com uma grande eficácia
após seis meses de um suplemento de curcuma associada com quercetina.
Também foi usada em ungento sobre lesões cutâneas malignas,com efeito positivo.
Os indianos consomem em média 1,5 a 2 gramas diários de açafrão das índias(meia colher de chá).
Em laboratório inibe o desenvolvimento de diversos cancros:cólon,fígado,estômago,mama,ovário,leucemia,por exemplo.Actua também na Angiogénese(factor (que contribui para os cancros passarem de benignos a malignos).
Em ratos a curcumina impede o desenvolvimento de diversos tumores causados por químicos cancerígenos.
Não admira que os indianos sofram 8 vezes menos de cancro do pulmão,9 vezes menos de cancro do cólon, 5 vezes menos de cancro da mama,e 10 vezes menos de cancro do rim que os Ocidentais.Apesar de os indianos estarem expostos a muitos elementos cancerígenos presentes no seu meio ambiente,superior ao ocidente.
Há mais de 2000 anos que o açafrão das índias,é mencionado em textos médicos da Índia,China,Tibete,Médio Oriente.O Doutor Bharat Aggarwal,brilhante iconoclasta,um dos mais citados investigadores oncológicos que dirige um laboratório de terapêutica experimental do cancro,mostrou que a curcumina é muito activa contra células de cancro em culturas.Em 2005 provou que esta era capaz de agir sobre tumores mamários cancerosos enxertados em ratos, que já não reagiam á quimioterapia com taxol(um dos poucos medicamentos eficazes contra o cancro da mama metastático,que resulta em 50%  dos casos.
A sabedoria ancestral Asiática ultrapassou largamente a ciência moderna na descoberta das sinergias naturais entre alimentos.Até os tumores cerebrais agressivos como os glioblastoma se tornam mais sensíveis á quimioterapia,quando associada á curcumina.
Segundo a equipa de Aggarwal,o extraordinário efeito do açafrão parece dever-se em grande parte á sua capacidade de interferir directamente com o cavaleiro negro do cancro-NF kappaB,que protege as células cancerosas dos mecanismos de defeza do organismo.Sabe-se agora que a curcumina é um poderoso antagonista do NF Kappa B,E 2000 ANOS de utilização diária provam que é inócuo totalmente.
Ao ser consumido com derivados de soja que substituem as próteinas animais,fornece a genisteína acima mencionada que desintoxica e ajuda a controlar a angiogénese.Se lhe juntarmos uma ou mais chávenas de chá,que cocktail poderoso!Sem efeitos secundários,e que controlam os principais mecanismos de devenvolvimento do cancro.
Tem sido estudados os possíveis benefícios do consumo da cúrcuma para prevenção e tratamento do mal de Alzheimer decorrentes da ação anti-inflamatória e antioxidante, pela remoção das placas no cérebro, características do mal de Alzheimer.
Em medicinas naturais como Chinesa e aAyurvédica é utilizada para descongestionar o fígado,induzir á produção de bílis,dissolver os cálculos biliares,favorecer a digestão.
Fortalece o fígado contra os radicais livres ,estimula a desintoxicação e impede os danos celulares com muita eficiência.
Atenção : se tem obstrução das vias biliares,pois a curcumina estimula a secreção da bílis e pode agravar a doença.
Se comer em excesso os curcuminóides aumentam o risco de úlcera do estômago,como em tudo á que dosear e não exceder.




RESUMO:
Princípio activo...................curcuma
Fonte natural.........................pó de curcuma longa -Açafrão das índias e caril(20%)
Mecanismo de acção...........antioxidante, antiproliferativo, antialérgico, antioxidante
Actividade nos cancros.......pele,pulmão,fígado,pâncreas,estâmago,bexiga,próstata,
intestino delgado,cólon,cabeça,pescoço,cavidade oral,glândula mamária,linfoma,colo do útero




















 FOTOS   DE  TERNURA  DO  DIA  
















PARAÍSOS  DA  TERRA




Cenote -México                                                                                     Equador


ESCÓCIA                                                                                   GRÉCIA





...Vamos também neste blog falar de um cancro de cada vez.
Sinais e sintomas para que possa estar alerta...
Começamos por: 

     CANCRO  COLO-RECTAL    

  ALIMENTOS  REMÉDIO  PREVINA-SE   

 
 
Nos alimentos existe uma autêntica sinfonia de substâncias, capazes de interferir com dezenas de mecanismos diferentes, tais como: a apoptose, a proliferação, a inflamação, o ciclo celular, a reparação da célula, a angiogénese, a produção de enzimas, entre outros. Além disso, a própria expressão dos genes pode ser alterada através dos alimentos que consumimos.
 
Há alimentos específicos que inibem o desenvolvimento do cancro do cólon.O laboratório do Dr.Beliveau testou extractos crús de diferentes alimentos,eis os resultados:
Como podemos constatar os alimentos mais eficazes a combater a
 proliferação das células
 cancerígenas do cólon temos a família allium(alho,alho francês cebolinho,cebolas)
 a família das crucíferas(couve de bruxelas,couve lombarda,couve comum,couve galega,,couve-flor ) etc    
 
 
 
 
  Recentemente, foi demonstrado que mesmo o aumento moderado na ingestão de frutas e hortaliças
apresenta proteção significante contra o câncer de cólon e reto, particularmente em indivíduos com consumo inferior a duas porções por dia. Porém, ainda não está claro qual é o determinante anticarcinogênico das frutas e hortaliças, uma vez que são fontes de vitaminas, minerais, fibras, fitoquímicos,antioxidantes e de outros componentes,ou se todos juntos é que dão este excelente resultado.
 

                               Fibras


     
Há algumas décadas tem sido enfatizado o efeito protetor da fibra alimentar contra o câncer de cólon e reto. Este conceito foi sugerido por Burkitt em 1971, que relacionou a elevada ingestão de fibras com a baixa incidência desse tipo de câncer entre a população do leste da África. A World Cancer Research Fund, após desenvolver metanálise, envolvendo 129 estudos e analisar outros 13 de caso-controle, considerou convincente a associação das fibras alimentares com a redução do risco de câncer de cólon e reto.
 De facto, com aquilo que se sabe hoje, cerca de 45% de casos de cancro colo-retal poderiam ser prevenidos caso comêssemos mais alimentos vegetais ricos em fibra,


  CURCUMA  --AÇAFRÃO  DAS  ÍNDIAS   

Como medida preventiva podemos consumir regularmente esta especiaria remédio anti-inflamatória, juntamente com pimenta preta para aumentar a sua biodisponibilidade.
Países onde este alimento é consumido com frequência apresentam taxas de incidência de vários cancros, incluindo o colo-retal.
Investigadores do Cancer Research UK do Reino Unido deram início a um estudo clínico que irá avaliar o contributo da curcumina, presente no açafrão-das-índias no tratamento do cancro do colon. O estudo destina-se a perceber se essa substância poderá aumentar a eficácia da quimioterapia no tratamento da doença.
 Estudos anteriores confirmaram em laboratório que a curcumina aumenta a capacidade da quimioterapia destruir células de cancro. Esta iniciativa enquadra-se numa tendência crescente de colaboração entre especialidades médicas no sentido de se obterem melhores resultados para o doente, a dita Medicina Integrativa.
  Neste caso a utilização da curcumina ao aumentar a sensibilidade das células aos fármacos utilizados, diminui a quantidade necessária, reduzindo assim os indesejáveis efeitos colaterais.
 
 
 
 
FAMÍLIA  ALLIUM :ALHO ,ALHO FRANCÊS,CEBOLAS,CHALOTAS,CEBOLINHO...  
Os compostos de enxofre desta família reduzem os efeitos cancerígenos das nitrosaminas,cuja formação ocorre quando se grelha/assa excessivamente um alimento em especial carnes.Estimulam a apoptose(morte celular) das células cancerígenas do cólon.Além disso,todos os vegetais desta família ajudam a regular os níveis de açucar no sangue,o que reduz a secreção de insulina e de IGF(factor de crescimento insulínico)logo o desenvolvimento de células cancerígenas.De salientar que as moléculas activas do alho são libertadas quando este é esmagado,e melhor assimilados se juntamente com gordura como azeite.
Diminue em 56% a probabilidade de ter este cancro nos consumidores diários destes alimentos.
 
VEGETAIS  DA  FAMÍLIA  DAS  CRUCÍFERAS  
As couves,os bróculos,couve-flor,repolho,nabos...
Quanto mais cortados forem mais libertam uma enzima-mirosinase que está alojada nas paredes das membranas das suas células.Devem ser salteados com um fio de azeite ou cozidos a vapor e pouco tempo.Relembramos que estes alimentos são os que possuem mais propriedades anti-cancerígenas Sulforafano e I3C(COM CAPACIDADE DE  DESINTOXICAR O ORGANISMO DAS SUBSTÂNCIAS CANCERÍGENAS) e com mais Micronutrientes que se conhece. Impedem que as células pré-cancerosas se desenvolvam e originam tumores malignos e promovem o suicídio das células cancerosas,bloqueando a angiogénese.
 
OS COMPOSTOS FITOQUÍMICOS DOS LEGUMES DA FAMÍLIA DA COUVE
Os efeitos espetaculares dos legumes da família da couve sobre a diminuição do risco de desenvolver vários tipos de câncer sugerem que esses legumes constituem uma fonte importante de compostos fitoquímicos. Efetivamente, de todos os vegetais comestíveis para os humanos, os legumes crucíferos são provavelmente aqueles que contêm a maior variedade de moléculas fitoquímicas com propriedades anticâncer. Além de vários polifenóis encontrados em outros alimentos protetores, que apresentaremos depois, os legumes crucíferos possuem também a característica de conter altas concentrações de um grupo de compostos chamados glicosinolatos (Quadro 8).
ALGAS
 
Muitas das variedades consumidas na Ásia contém moléculas que abrandam o desenvolvimento do cancro do cólon entre outros.Entre as mais comestíveis encontramos a nori,kombu,wakame,arame,dulse.
O Fucoidan,presente nas algas kombu e wakame,ajudam a provocar a morte celular por apoptose e estimula as células imunitárias,incluindo as células NK(NATURAL KILLERS)
 
  ÓMEGA 3 
 Reduzirem a inflamação,em culturas de células,observou-se a redução do desenvolvimento das células cancerosas no cancro do cólon entre outros.Actuam na redução do alastramento dos tumores sob a forma de metásteses.Quem consome pelo menos 2 vezes peixe rico em ómega 3 o seu risco de contraír cancro é diminuido segundo estudos em seres humanos.
A maravilhosa linhaça  e sementes chia são ricas em ómega 3 .     
 
PROBIÓTICOS
Os intestinos contêm bactérias benéficas que ajudam a digestão,a absorção de nutrientes,facilitam o trânsito intestinal.Também desempenham um papel estabilizador importante no sistema imunitário.Entre as mais comuns encontramos as Lactobacillus Acidophilus e as Lactobacillus Bifidus.
Foi demonstrado que estes próbioticos inibem o desenvolvimento das células cancerosas do cólon.Ao favorecerem o trânsito intestinal,e o não acumular de matérias degradadas,reduz o risco de exposição dos intestinos ás substâncias tóxicas e cancerígenas presentes nos resíduos dos alimentos.
Fonte : iogurtes biológicos ou enriquecidos,de soja ,o kefir,possuem bactérias probióticas.
Os prébioticos que contém polímeros de frutose como : alho,cebola,tomate,espargos,banana, trigo,estimulam o crescimento de bactérias probióticas.     
 
FRUTOS  VERMELHOS-- AS  BAGAS 
AMORAS / MIRTILHOS / FRAMBOESAS / GOGI    
 Pesquisas sugerem, por exemplo, que uma mistura de substâncias presentes nas amoras, podem inibir o desenvolvimento do cancro de forma mais eficaz do que através de agentes individuais focados em desativar um gene em particular. Investigadores da Universidade de Ohio, liderados pelo professor Gary D. Stoner, examinaram os efeitos de framboesas negras em genes alterados por um químico cancerígeno num modelo animal do cancro do esófago e cólon. Dos mais de 2200 genes afetados pelo químico, 462 foram normalizados nos animais que consumiram o composto concentrado de amoras. Stoner diz mesmo que “claramente foi demonstrado que os frutos vermelhos, contendo uma variedade de compostos anticancerígenos, têm um efeito muito abrangente na expressão de genes envolvidos no desenvolvimento do cancro”. A maior parte dos genes que recuperaram a sua função normal através do concentrado de framboesas, estão associados à proliferação das células, apoptose, o crescimento de novos vasos sanguíneos e outros processos que contribuem para o desenvolvimento do cancro. O tecido parecia ter um aspeto mais normal e saudável. O investigador refere também a importância de conjugar vários agentes num só, de forma a se obterem mais resultados nos seus efeitos quimiopreventivos.
Os componentes principais presentes nestes frutos na sua ação quimiopreventiva poderão ser os antocianinos, uma classe de substâncias pertencentes à família dos flavonóides. Estes mesmos investigadores da Universidade de Ohio observaram que as antocianinas inibem o crescimento e estimulam a apotose (morte programada da célula) no cancro do esófago em ratos. Outra das substâncias identificada pela equipa de Gary Stoner, que estuda as propriedades quimiopreventivas dos frutos vermelhos há mais de duas décadas, é um polifenol chamado ácido elágico. Segundo estudos desenvolvidos por esta equipa, uma dieta de concentrado de amoras inibiu o crescimento do cancro do esófago 30 a 70% e do cancro do colon até 80%.
Um outro estudo, desenvolvido na Universidade de Illinois sugere que as amoras podem ser eficazes a prevenir cancro colo-retal. A pesquisa utilizou dois modelos animais, os quais por terem um gene desativado desenvolvem tumores intestinais ou colite (inflamação do intestino que pode contribuir para o desenvolvimento do cancro colo-retal). Ambos os grupos foram alimentados com uma dieta típica ocidental e suplementados com concentrado de amoras durante 12 semanas. No primeiro grupo a incidência dos tumores diminuiu 45% e o número de tumores diminuiu 60%. No segundo a incidência e o número de tumores diminuiu 50%. Além disso, as amoras inibiram o desenvolvimento dos tumores reduzindo a inflamação crónica associada com a colite.


Outros alimentos :

Todos os alimentos anti-inflamatórios , antioxidantes,e ricos em fitonutrientes são bons.
Estes alimentos estudaremos cada um em pormenor.
Chá verde ;gengibre ;vegetais /frutos ricos em carotenóides ,soja e derivados ;ervas  e especiarias como alecrim,tomilho,óregãos,selénio,hortelã,canela; vitam. D; citrinos; romã; uvas ; sementes como a linhaça ; complementos como levedura de cerveja,gérmen de trigo,farelo,lecitina de soja; frutos secos ;cerais integrais ;cogumelos; leguminosas.

     


                                                   

 
CANCRO COLO-RECTAL: SINTOMAS DE ALERTA
 

Como começa?

 
O cancro do cólon surge como uma inflamação na superfície da mucosa intestinal ou num pólipo (crescimento anormal das células que constituem a mucosa do intestino grosso). À medida que o tumor cresce, a parede intestinal vai sendo invadida; no entanto, também os gânglios linfáticos que estão próximos podem ser invadidos. Podem também surgir metástases, uma vez que o sangue da parede do intestino passa pelo fígado, assim, o cancro do cólon pode propagar-se até este órgão.


Quase todos os cancros do cólon e recto têm origem em pólipos. Estes tumores, sempre benignos de início mas com um potencial de transformação maligna, originam-se na mucosa colo-rectal, podendo com um aumento de tamanho e com o tempo tornarem-se malignos.

A extracção de pólipos benignos é, pois, um aspecto de medicina preventiva muito importante.


O cancro colo-rectal também conhecido por cancro do intestino é o segundo tumor mais frequente nos EUA, atingindo 140000 pessoas por ano e causando cerca de 60000 mortes. Em Portugal estima-se uma incidência proporcional, sendo o cancro do tubo digestivo mais frequente entre nós. São números elevadíssimos, se tivermos em conta que esta doença será potencialmente curável se diagnosticada numa fase inicial.
 

Quem está em risco de contrair cancro colo-rectal?

-Mais de 90% dos doentes têm acima de 40 anos quando diagnosticados, embora o cancro colo-rectal possa aparecer em qualquer idade. Outros factores de risco são uma HISTÓRIA FAMILIAR de cancro colo-rectal e pólipos, dado que não havendo uma hereditariedade, existe de facto uma propensão;
- HISTÓRIA PESSOAL de colite ulcerosa e de pólipos colo-rectais evoluindo há muitos anos ou antecedentes de outros tumores como da mama e do útero.
-Uma alimentação desregulada rica em proteínas e gorduras animais e pobre em fitonutrientes provenientes dos produtos que nascem da terra.
 
 

Podem as hemorróidas degenerar num cancro colo-rectal?

Não, mas as hemorróidas podem produzir sintomas parecidos com os de um pólipo ou cancro colo-rectal. Se tiver esses sintoma s consulte um médico, de preferência um Coloproctologista (especialista no diagnóstico e tratamento, cirúrgico e não cirúrgico, das doenças colo-recto-anais).
 
 
Os sintomas mais comuns do cancro colo-rectal, são:
  • Alteração dos hábitos intestinais.
  • Diarreia, obstipação ou sensação de que o intestino não esvazia completamente.
  • Sangue (vermelho vivo ou muito escuro) nas fezes.
  • Fezes menores do que o habitual.
  • Desconforto abdominal generalizado (dores de gases, inchaço, enfartamento e/ou cãibras).
  • Perda de peso inexplicada.
  • Cansaço constante.
  • Náuseas e vómitos.
Na maioria das vezes, estes sintomas não estão relacionados com um cancro, e podem, ainda, ser provocados por tumores benignos ou outros problemas. Só o EXAME poderá confirmar. Qualquer pessoa com estes sintomas ou quaisquer outras alterações de saúde relevantes, deve consultar o médico, para diagnosticar e tratar o problema tão cedo quanto possível.
Geralmente, as fases iniciais do cancro não causam dor. Se tem estes sintomas, não espere até ter dor para consultar o médico.
Para detectar pólipos, tumores ou outras situações anómalas, no cólon e no recto, são usados os seguintes testes de rastreio:
  *EXAMES:





Como fazer o rastreio do cancro colo-rectal?


Infelizmente, muitos cancros precoces não produzem sintomas; por isso é importante que ao atingir-se a idade dos 40 anos ou 50 anos, dependendo dos antecedentes pessoais e/ou familiares, se incluam no exame clínico de rotina («check-up») procedimentos para identificar o cancro colo-rectal. Pelo menos deverão ser efectuados um toque rectal, uma rectoscopia e pesquisa de sangue oculto nas fezes, se possível complementados por uma fibrosigmoidoscopia ou mesmo por uma colonoscopia.



 


 
    Pesquisa de sangue oculto nas fezes (PSQF): por vezes, o tumor ou os pólipos sangram, e através desta pesquisa (PSQF), podem ser detectadas pequenas quantidades de sangue nas fezes. Se nesta análise for detectado sangue, serão necessários testes adicionais para encontrar a origem do sangue. Há situações benignas, como as hemorróidas, que podem provocar sangue nas fezes.
  • Sigmoidoscopia: neste exame, o médico observa o interior do recto e do cólon descendente, com um tubo iluminado, chamado sigmoidoscópio. Se detectar pólipos, estes serão removidos. O procedimento para remoção de pólipos chama-se polipectomia.
  • Colonoscopia: o médico observa o interior do recto e da totalidade do cólon, usando um longo tubo iluminado, chamado colonoscópio. Quaisquer pólipos que sejam detectados, serão removidos pelo médico. 

  • Clister opaco com duplo-contraste: este procedimento envolve vários raios-X do cólon e do recto. É dado, ao doente, um clister com uma solução de bário e é bombeado ar para dentro do recto. O bário e o ar delimitam o cólon e o recto nas imagens de raios-X. Podem aparecer pólipos na radiografia.
Toque rectal: um exame como o toque rectal faz, geralmente, parte do exame físico de rotina. O médico, depois de colocar umas luvas, introduz um dedo lubrificado no recto, para detectar zonas anómalas na parte inferior do recto.




*ESTADIOS:
Se a biópsia comprovar a existência de um cancro, o médico precisa de saber qual a extensão (estadio) da doença, para melhor planear o tratamento. O estadio da doença, está relacionado com o facto do tumor ter, ou não, invadido os tecidos vizinhos, e de se ter disseminado para outras partes do corpo. O estadiamento pode envolver alguns dos seguintes testes e procedimentos:
Análises sanguíneas: o médico pede análises, para saber se o antigénio carcino-embriónico (CEA), bem como outras substâncias específicas, são detectadas no sangue. Algumas pessoas com cancro colo-rectal, ou outras doenças, apresentam um nível elevado de CEA .
Colonoscopia: se a colonoscopia não foi realizada para o diagnóstico, o médico observa, agora, toda a extensão do cólon e do recto, com um colonoscópio, para detectar outras possíveis zonas anómalas.
Ecografia endorectal: é inserida uma sonda no recto; esta sonda envia ondas sonoras, não audíveis pelas pessoas. As ondas são reflectidas pelo recto e pelos tecidos circundantes e um computador usa os ecos para criar uma imagem. A imagem (ecografia), mostra a profundidade do crescimento do tumor rectal ou se este metastizou para os gânglios linfáticos ou para outros tecidos.
Radiografia ao tórax: o raio-X do tórax, pode demonstrar se o tumor se metastizou para os pulmões.
TAC: através de uma máquina de raio-X, ligada a um computador, é feita uma série de imagens pormenorizadas, de zonas dentro do organismo. A pessoa pode fazer uma injecção de corante. Os tumores no fígado, nos pulmões ou noutro local, aparecem na TAC.
O médico também pode usar outros exames como, por exemplo, a ressonância magnética - RM, para perceber se o cancro se disseminou. Por vezes, o estadiamento não está terminado, até que a pessoa faça uma cirurgia para remoção do tumor (a cirurgia para o cancro colo-rectal, está descrita na área Tratamento).
*Classifica o cancro colo-rectal através dos seguintes estadios:
  • Estadio 0: o tumor encontra-se, apenas, no revestimento interior do cólon e do recto. Carcinoma in-situ é outra designação dada ao estadio 0 do cancro colo-rectal.
  • Estadio I: o tumor desenvolveu-se para dentro da parede do cólon e do recto. No entanto, não atingiu a parede exterior do cólon, nem passou para o exterior do cólon . Duke's A é outro nome para o estadio I do cancro colo-rectal.
  • Estadio II: o tumor desenvolveu-se mais profundamente para o interior da parede do cólon ou através da parede do cólon ou do recto. Pode ter invadido tecidos circundantes, mas as células cancerígenas não chegaram aos gânglios linfáticos. Duke's B é outro nome para o estadio II do cancro colo-rectal.
  • Estadio III: o tumor já atingiu os gânglios linfáticos vizinhos, mas não chegou a outras partes do corpo. Duke's C é outro nome para o estadio III do cancro colo-rectal.
  • Estadio IV: o tumor já metastizou para outras partes do corpo como, por exemplo, o fígado ou os pulmões. Duke's D é outro nome para o estadio IV do cancro colo-rectal.
  • Recidiva do cancro: esta situação corresponde a um tumor que foi tratado e que voltou passado um tempo. A recidiva pode surgir no cólon, no recto ou noutra parte do organismo.

CANCRO COLO-RECTAL: MÉTODOS DE TRATAMENTO

O tratamento do cancro colo-rectal pode envolver cirurgia, radioterapia ou quimioterapia. Algumas pessoas fazem uma combinação de tratamentos.












O cancro do cólon é, por vezes, tratado de modo diferente do cancro do recto. Os tratamentos para o cancro do cólon e do recto serão descritos em separado.
  • Em qualquer estadio do cancro colo-rectal, podem ser administrados medicamentos para controlar a dor e outros sintomas do cancro, bem como para aliviar os possíveis efeitos secundários do tratamento. Estes tratamentos são designados como tratamentos de suporte, para controlo dos sintomas ou cuidados paliativos.

Poderá perguntar ao médico sobre a possibilidade de participar num ensaio clínico, ou seja, num estudo de investigação de novos métodos de tratamento. No tópico "Investigação Sobre o Cancro”, poderá encontrar mais informação sobre os ensaios clínicos actualmente a decorrer.

CIRURGIA

A cirurgia é o método mais comum para o tratamento do cancro colo-rectal. É um tipo de tratamento local: trata o cancro, no cólon e no recto e na zona perto do tumor.
Um pequeno pólipo maligno, pode ser removido do cólon ou da zona superior do recto, com um colonoscópio. Alguns pequenos tumores, na porção inferior do recto, podem ser removidos, através do ânus, com um colonoscópio.
Para um cancro maior, o cirurgião faz uma incisão no abdómen, para remover o tumor e uma parte saudável do cólon ou recto, para ter margens de segurança. Também podem ser removidos alguns gânglios linfáticos vizinhos. O cirurgião verifica o resto do intestino e o fígado, para ver se o cancro está metastizado.
Quando uma porção do cólon ou do recto é removida, o cirurgião pode, geralmente, ligar as partes saudáveis. No entanto, por vezes esta ligação não é possível; neste caso, o cirurgião cria uma nova "via", por onde as fezes serão eliminadas do organismo. O cirurgião cria uma abertura, ou estoma, na parede do abdómen; liga a extremidade superior do intestino ao estoma e fecha a outra extremidade. A operação, para criação de um estoma, chama-se colostomia. Prende-se, com um adesivo especial, e coloca-se um saco junto ao estoma, para recolher as fezes.
Para a maioria das pessoas, a colostomia é temporária. É apenas necessária até que o cólon ou o recto cicatrizem da cirurgia. Após a recuperação, o cirurgião volta a ligar as partes do intestino e fecha o estoma. Algumas pessoas, especialmente aquelas que apresentavam um tumor na parte inferior do recto, necessitam de uma colostomia permanente. Nos tópicos “Efeitos secundários do tratamento” e “Reabilitação”, encontrará mais informação sobre a colostomia.

QUIMIOTERAPIA

A quimioterapia consiste na utilização de fármacos, para matar as células cancerígenas. A quimioterapia pode ser constituída apenas por um fármaco ou por uma associação de fármacos. Os fármacos podem ser administrados oralmente, sob a forma de comprimidos, ou através de uma injecção intravenosa (i.v.), na veia. Em qualquer das situações, os fármacos entram na corrente sanguínea e circulam por todo o organismo: é a chamada terapêutica sistémica.
A quimioterapia é, geralmente, administrada por ciclos de tratamento, repetidos de acordo com uma regularidade específica, de situação para situação. O tratamento pode ser feito durante um ou mais dias; existe, depois, um período de descanso, para recuperação, que pode ser de vários dias ou mesmo semanas, antes de fazer a próxima sessão de tratamento.
A maioria das pessoas com cancro, faz a quimioterapia em regime de ambulatório (no hospital, no consultório do médico ou em casa), ou seja, não ficam internadas no hospital. No entanto, algumas pessoas podem precisar de ficar no hospital, internadas, enquanto fazem a quimioterapia.
A pessoa pode fazer apenas quimioterapia, quimioterapia antes ou depois da cirurgia, radioterapia ou ambas.
Quando a quimioterapia é administrada antes da cirurgia, é chamada de terapêutica neo-adjuvante; o objectivo é diminuir o tamanho do tumor.
A quimioterapia administrada logo após a cirurgia, é chamada de terapêutica adjuvante; o objectivo é destruir quaisquer células cancerígenas remanescentes e prevenir uma recidiva do tumor, no cólon, no recto ou noutro local.
A quimioterapia também é usada para tratar pessoas com doença avançada e, neste caso, o intuito é apenas paliativo, ou seja, para controlar a doença e/ou sua sintomatologia.

RADIOTERAPIA

A radioterapia é um tratamento local e, como tal, afecta apenas as células cancerígenas na zona tratada; usa raios de elevada energia, para matar as células cancerígenas. O médico pode usar vários tipos de radioterapia.
Em determinadas situações, pode ser administrada uma combinação de diferentes tratamentos com radioterapia:
  • Radiação externa: a radiação provém de uma máquina. Para este tratamento, a maioria das pessoas vai ao hospital ou clínica. Geralmente, os tratamentos são realizados durante 5 dias por semana, durante várias semanas. Em alguns casos, é administrada radioterapia externa, durante a cirurgia.
  • Radiação interna (radiação por implante ou braquiterapia): a radiação provém de material radioactivo contido em sementes, agulhas ou finos tubos de plástico, que são colocados directamente no local do tumor ou perto. Para fazer radiação por implante o doente fica, regra geral, internado no hospital. Os implantes permanecem no local durante vários dias; são retirados antes de ir para casa.

TERAPÊUTICAS DIRIGIDAS

Alguns dos avanços mais promissores e excitantes no tratamento do cancro na última década são as terapêuticas dirigidas. Estas terapêuticas são desenvolvidas com o objectivo de bloquear o crescimento e a disseminação do cancro através do bloqueio de alvos moleculares específicos responsáveis pela proliferação e progressão tumoral. São tratamentos focados nas alterações moleculares e celulares específicas dos diversos tipos de cancro, e por isso poderão potenciar o efeito da quimioterapia e prejudicar menos as células normais.

As terapêuticas dirigidas interferem com a divisão das células tumorais e sua disseminação de várias formas:

  • Interagindo com moléculas que estão envolvidas no complexo sistema de comunicação que comanda as funções e actividades celulares, como a divisão, movimentação das células, respostas a estímulos específicos externos e morte celular. Ao bloquear os sinais que dizem às células tumorais para crescerem e para se multiplicarem de forma não controlada, as terapêuticas dirigidas podem travar a progressão do cancro e até induzir a morte celular (apoptose).
  • Outras causam a morte celular directa induzindo a apoptose ou indirectamente estimulando o sistema imunitário (de defesa) a reconhecer e destruir as células tumorais ou produzindo substâncias tóxicas directamente contra as células cancerígenas.
A maioria das terapêuticas dirigidas são ou pequenas moléculas ou anticorpos monoclonais. As pequenas moléculas são capazes de entrar dentro das células e actuar em alvos localizados no seu interior. Os anticorpos monoclonais não penetram através da membrana das células e têm como alvo moléculas na superfície das células (receptores) ou no exterior da célula.

Existem assim várias terapêuticas dirigidas que interferem com diversos processos celulares. Umas podem bloquear certas enzimas e factores de crescimento envolvidos na proliferação das células cancerígenas. Outras bloqueiam o crescimento dos vasos sanguíneos (angiogénese). As células cancerígenas necessitam de um fornecimento constante de sangue, através dos vasos sanguíneos para receberem oxigénio e nutrientes que garantam a sua sobrevivência. Os tratamentos que interferem com a angiogénese podem impedir o crescimento do tumor através do bloqueio do crescimento dos vasos sanguíneos que fornecem nutrientes e oxigénio às células cancerígenas.

Actualmente, as terapêuticas dirigidas no cancro colorectal são anticorpos monoclonais, que são mais utilizados em combinação com a quimioterapia, embora, nalguns casos possam ser usados isoladamente.

TRATAMENTO PARA O CANCRO DO CÓLON

Grande parte das pessoas com cancro do cólon, é tratada com cirurgia. Algumas pessoas fazem ambos os tratamentos: cirurgia e quimioterapia. Em pessoas com cancro do cólon, raramente é necessária a colostomia.

Apesar da radioterapia não ser muito usada no tratamento do cancro do cólon é, por vezes, usada com intuito paliativo, ou seja, para aliviar as dores e outros sintomas.

TRATAMENTO PARA O CANCRO DO RECTO

Em todas as fases do cancro rectal, a cirurgia é o tratamento mais comum. Alguns doentes fazem cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Cerca de 1, em cada 8 pessoas, precisa de uma colostomia permanente.

A radioterapia pode ser usada antes e depois da cirurgia. Algumas pessoas fazem-na antes da cirurgia, para diminuir o tumor e outras fazem-na depois da cirurgia, para matar possíveis células cancerígenas que tenham permanecido na região. Em alguns hospitais, a pessoa pode fazer radioterapia, durante a cirurgia: radioterapia intra-operatória. Também poderá ser feita radioterapia paliativa, para alívio das dores e de outros problemas, causados pelo cancro.
 

FACTORES   DE  RISCO:

Na sua incidência influenciam fatores ambientais e hereditários . - Está relacionado com estilo de vida. Dentro dos fatores ambientais, não há dúvida de que os mais importantes relacionam-se com a alimentação. Nos países onde o consumo de fibras é pequeno, onde a ingestão de gorduras, alimentos com aditivos, conservantes e corantes é grande, a incidência do câncer é maior. Quanto mais desenvolvido economicamente o país, maior o consumo desses produtos . A vida moderna leva à necessidade de conservação dos alimentos, e nem todos os métodos usados são adequados. Alguns incluem produtos que promovem o aumento da quantidade de substâncias chamadas carcinogenéticas no interior do intestino, que favorecem a incidência do câncer no intestino grosso.
- A qualidade de vida está relacionada com a incidência da doença? Exatamente.
O hábito alimentar deve ser saudável. Deve-se comer verduras, legumes, cereais, evitar gordura (principalmente gordura animal), fumar o menos possível, ingerir pouco álcool. Esses fatores ambientais são muito importantes.
 - Além dos fatores ambientais, a hereditariedade é importante? Sim. Cerca de 10% desses cânceres, são ligados a fatores genéticos. Hoje são reconhecidas famílias com uma tendência maior para ter câncer.




Alguns tipos de alimentos, se consumidos regularmente durante longos períodos de tempo, parecem fornecer o tipo de ambiente que uma célula cancerosa necessita para crescer, se multiplicar e se disseminar. Esses alimentos devem ser evitados ou ingeridos com moderação/ou melhor retirá-los. Neste grupo estão incluídos os alimentos ricos em gorduras, tais como carnes vermelhas, frituras, molhos com maionese,enchidos bacon, presuntos, salsichas, linguiças, mortandelas, entre outros.
 
 

Existem também os alimentos que contêm níveis significativos de agentes cancerígenos. Por exemplo, os nitritos e nitratos usados para conservar alguns tipos de alimentos, como picles, salsichas e produtos fumados e alguns tipos de enlatados, se transformam em nitrosaminas no estômago. As nitrosaminas, que têm ação carcinogênica potente, são responsáveis pelos altos índices de câncer de estômago observados em populações que consomem alimentos com estas características de forma abundante e frequente.
 Os fumados e churrascos são impregnados pelo alcatrão proveniente da fumaça do carvão, o mesmo encontrado na fumaça do cigarro e que tem ação carcinogênica conhecida.
Quando consumimos açucar ou alimentos com um índice glicémico elevado, os níveis de glicose no sangue sobem rapidamente. Essa subida é acompanhada pela descarga imediata de insulina no sangue, hormona responsável pela pela metabolização do açucar nas células.
A acompanhar a insulina é segregada uma outra hormona chamada IGF cujo papel é o de estimular o crescimento das células. Ambas as hormonas promovem assim o desenvolvimento das células fazendo-as crescer mais depressa. Tudo o que promova o crescimento celular deve despertar imediatamente um sinal de alerta quando lidamos com cancro, uma doença caracterizada justamente pelo crescimento descontrolado das células. Além disso tanto a insulina como o IGF-1 prmovem os fatores inflamatórios dos quais dependem as células de cancro para se desenvolverem.
Uma equipa de investigadores chegou à conclusão que a inatividade física mata tanto como o tabagismo, sendo mesmo uma pandemia.
De acordo com os dados apurados pelos cientistas, cerca de uma em cada dez mortes prematuras em todo o mundo deriva da falta de exercício físico. O número de mortes prematuras causadas pelo tabaco é aproximadamente o mesmo.

Em 57 milhões de mortes em 2008, cerca de cinco milhões podem ser atribuídas à inatividade, estimam os investigadores.
Isto porque a estimativa teve em conta quatro doenças: diabetes tipo 2, doenças do coração, cancro da mama e cancro do cólon, nas quais um dos fatores de risco é, precisamente, a falta de exercício.No que toca ao cancro do colón, os cientistas acreditam que o exercício ajuda a manter uma digestão regular, prevenindo a acumulação de resíduos potencialmente cancerígenos, que originem tumores.
O mínimo de exercício recomendado são cerca de duas horas e meia por semana, que pode ser dividido por meia hora a andar rapidamente, cinco vezes por semana, por exemplo. No entanto, cerca de 30% dos adultos em todo o mundo não atingem esse mínimo.

Outro método de prevenção de câncer colo-retal é fazer, nos grupos de risco, a colonoscopia e retirar os polipos que eventualmente existam, porque retirando-os você está prevenindo o câncro.
 
  RESUMINDO: 
Deve-se alterar o hábito alimentar, fazendo uma dieta equilibrada e balanceada. Comer muita fibra, vegetais, legumes frescos, cerais e frutas. Evitar as carnes fumadas e as assadas na brasa. Além disso, é importante ensinar a população a valorizar os aspectos genéticos do câncro.
Reduzir o consumo de carne vermelha para 80 gramas duas vezes por semana,ou se poder não a coma , evitando-se carnes processadas, como bacon,chouriços,salsichas e presunto; diminuir o uso de açúcar; e não ingerir bebidas alcoólicas,e claro mexa-se pela  sua saúde!!!
 
NÃO  SE  ESQUEÇA  QUE
 

- Qual a probabilidade de cura?



 O câncer de colo-retal é de excelente prognóstico quanto à cura.
Se você for operado ao câncro do intestino numa fase em que ainda o câncro está limitado em sua penetração na parede do intestino, a probabilidade de cura é acima dos 70 %.
Em todos os casos os alimentos remédio são uma preciosa ajuda, devore-os!!!


CURIOSIDADE  ANATÓMICA  DO  DIA :
- AS  UNHAS dos dedos das mãos crescem mais rápido que as do pé.
-Ambas crescem mais depressa no Verão que no Inverno.
-As unhas da sua mão dominante crescem mais rápidamente que as da mão não dominante.
- As unhas dos homens crescem mais depressa do que as das mulheres.
As unhas de um adulto saudável crescem a uma velocidade constante,ainda que lenta de cerca de 30 cm por mês.
Uma unha da mão totalmente nova demora entre 4 a 6 meses a crescer,enquanto que a do pé demora 8 a 12 meses.
O envelhecimento abranda o crescimento das unhas.
Na infância as unhas dos dedos da mão totalmente novas demoram 3 meses a crescer.
Aos 70 anos passa a demorar 6 meses.
O record mundial das unhas + compridas pertence a um indiano com unhas da mão com 93cm e a + comprida tinha 1,5 metros.
 
  PETISCO  DO  DIA :

Beringelas recheadas com cogumelos

Uma boa opção para quem queira um prato rico em nutrientes sofre de colesterol elevado, hipertensão e prisão de ventre.
Este prato não só hidrata como contém bastante fibra e vitaminas, por causa da sua variedade de legumes.
  Além disso, e apesar de ser um prato completo, é muito rico, pelo que pode ingeri-lo como prato principal.
 
 
          Ingredientes :        
(4 pessoas)

* 4 beringelas
 *  3 cebolas
 * 200 g de cogumelos
 *  2 gemas
 * 3 tomates
 *  100 g de nozes * sementes de girasol  (1 colher de sopa por beringela )
 * sementes de sésamo  (1 colher de sopa por beringela)
 * 4 colheres (sopa) de azeite
 *   Sal   (q.b) * Oregãos (q.b)
* caril  (q.b)
* Salsa
* Azeitonas pretas

           Preparação           

1. Lave, seque e corte as beringelas ao meio (longitudinalmente) e esvazie-as com cuidado.
  2. Pique a polpa extraída e refogue-a com a cebola picada. Acrescente os cogumelos limpos, a salsa e o miolo de noz. Refogue bem toda a mistura. Tempere com sal e caril e retire do lume.
  3. Acrescente ao preparado anterior as gemas de ovo e ligue bem.
Beringelas recheadas com cogumelos  4. Recheie as beringelas e junte o tomate cortado em cubos.
  5. Coloque as beringelas numa travessa de ir ao forno, regue com um fio de azeite e cozinhe no forno pré-aquecido a 180º C durante cerca de  15 minutos.
  6. Para servir, pode enfeitar o prato com óregãos e cogumelos laminados, sobre o recheio. Alguns ramos de salsa dão-lhe um toque de frescura e de nutrientes e um fio de molho de tomate dá-lhe cor.

 7. Por cima espalhe as sementes de sésamo e de girasol .
 8. Está pronto a ser degustado,acompanhe com azeitonas pretas.
             BOM  APETITE !!!

 IDEIA  ORIGINAL  DO  DIA



 
    DICA    DO  DIA  YOGA 






 
  ALGUNS  EXERCÍCIOS  DE    Yoga 
  
   DICA   ECOLÓGICA -- Reutilize  Paletes de Madeira  
  DICA  ECOLÓGICA   
 








polivalentes 
 paletes


















Cadeirão construído em paletes de madeira
Eco-Cadeirão em paletes reutilizadas.

Movimento Novos Rurais 
Pessoas mais livres, plenas e felizes! https://www.facebook.com/novosrurais.farmingculture












       
 PENSAMENTO    DO  DIA      ***** e *****   PROVÉRBIO  CHINÊS ******